terça-feira, maio 22, 2018

segunda-feira, maio 21, 2018

Concerto Brasil



Aprecie o jovem tenor brasileiro Jean Willian, no Concerto Brasil.
Cantor lírico de origens humildes, foi criado pelos avós, tendo conseguido superar as dificuldades e estudar na USP, além de falar quatro idiomas.
E agora assista-o noutro vídeo.

domingo, maio 20, 2018

Teda: Uma Cidade Sustentável na China



A China mostra ao mundo que a construção de cidades ecológicas não é um sonho distante.
Os moradores da cidde de Teda vão poder beber água diretamente da torneira - num país onde 70% dos rios estão poluídos.

sábado, maio 19, 2018

O Discurso do Rei

O Discurso do Rei é um filme britânico de 2010, escrito por David Seidler, realizado por Tom Hooper, e interpretado por Colin Firth, Geoffrey Rush e Helena Bonham Carter.
A rainha Elizabeth II assistiu ao filme e disse ter ficado "emocionada" pela interpretação que Firth fez de seu pai.
O Discurso do Rei ganhou sete prémios BAFTA e quatro Óscars, sendo eles o de melhor filme, melhor realizador para Tom Hooper, melhor ator para Colin Firth como Jorge VI e melhor roteiro original.
Sinopse:
Este filme conta a história do rei Jorge VI. Desde os cinco anos que Bertie (Colin Firth), Duque de York e segundo filho do rei Jorge V de Inglaterra (Michael Gambon), sofre de gaguez, algo que sempre abalou a sua auto-estima. Depois do embaraçoso discurso de encerramento da Exposição do Império Britânico em Wembley, em 1925, Bertie, pressionado por Isabel (Helena Bonham Carter), futura rainha-mãe e sua esposa, começa a consultar Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta da fala pouco convencional.  O filme inclui citações extraídas dos diários de Logue, que foram descobertos nove semanas antes do início das filmagens, a tempo de serem incorporados no roteiro.
Em Janeiro de 1936, o rei Jorge V morre e é o seu irmão Eduardo quem ascende ao trono até, menos de um ano depois, abdicar por amor a uma americana divorciada em favor de Bertie. Hesitante perante o peso da responsabilidade e obcecado em ser monarca digno do reino, o novo rei apoia-se em Logue, que o ajuda a superar a gaguez...
Assista agora ao trailer legendado de O Discurso do Rei. 

sexta-feira, maio 18, 2018

Brincar de Viver

Oiça Maria Bethania em Brincar de Viver, uma letra de Guilherme Arantes.
A arte de sorrir sempre que o mundo diz não.

Quem me chamou
Quem vai querer voltar pro ninho
Redescobrir seu lugar
Pra retornar e enfrentar o dia a dia
Reaprender a sonhar

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"

Você verá que a emoção começa agora
Agora é brincar de viver
Não esquecer, ninguém é o centro do universo
Assim é maior o prazer

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"

E eu desejo amar todos que eu cruzar pelo meu caminho
Como sou feliz, eu quero ver feliz
Quem andar comigo, vem

Lá lá lá lá lá

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"

Lá lá lá lá lá

quinta-feira, maio 17, 2018

quarta-feira, maio 16, 2018

O Coltan e os Telemóveis

O Coltan (ou ouro cinzento ou azul) é uma mistura de dois minerais: a columbita e a tantalita. Em português, esta mistura recebe o nome de columbita-tantalita. Ambos os metais são extremamente caros e raros na natureza.
Da columbita extrai-se o nióbio e da tantalita, o tântalo. Este último é um metal de alta resistência térmica, eletro-magnética e corrosiva e, por isso, é muito utilizado no fabrico de pequenos condensadores utilizados na maioria dos aparelhos eletrónicos portáteis (telemóveis, notebooks, computadores, etc.). O nióbio é semelhante ao tântalo e tem um enorme potencial como supercondutor.
Este metais foram e continuam a ser fundamentais em toda a tecnologia relacionada com os equipamentos eletrónicos.
As maiores reservas de tantalita (na forma "coltan", ou seja, em  conjunto com a columbita) estão na República Democrática do Congo, onde se trava uma guerra civil há  vários anos em torno da posse das minas, juntamente com outras complicações étnicas, territoriais e políticas.
A ONU apresenta estimativas desconcertantes como a de que já morreram mais de 4 milhões de pessoas na disputa pelo "ouro azul", além do impressionante faturamento de mais de US$250 milhões que teve o exército de Ruanda no comércio deste caro mineral.
A extração mineira da columbita-tantalita provoca grandes impactos no ambiente tropical do Congo, uma vez que não são tomadas as devidas medidas de proteção ambiental (facto óbvio no meio de uma região em guerra). De salientar que as minas se encontrarem próximas ou mesmo algumas delas dentro de parques nacionais.
Se quiser ficar a saber mais sobre o assunto veja a apresentação que se segue e que é uma campanha de alerta sobre esta temática.
Ora veja. Vale bem a pena.